17.7.09

Billie Holiday - "My Man"

Billie Holiday morreu há 50 anos - 17 de julho de 1959, entre tantas canções
extasiantes interpretadas por ela My Man é especial.
Billie Holiday, nascida de um casal adolescente, o pai tinha 18 anos e a mãe 16 anos.
Músico, o pai deixou a família para para seguir uma carreira musical e a jovem mãe deixava
a pequena Eleanor com parentes. Vítima de violência sexual aos 10 anos foi internada em
um abrigo para menores. Com 12 anos trabalhava como faxineira em um prostíbulo e
passou a se prostituir aos 14 anos. Aos 15 anos começa sua carreira como cantora.
Leia mais aqui.



May Man
Channing pollock/maurice yvain / albert willemetz/jaques charles

Oh, my man, I love him so
He'll never know
All my life is just despair
But I don't care
When he takes me in his arms
The world is bright all right
What's the difference if I say
I'll go away
When I know I'll come back on my knees someday
For whatever my man is
I am his
forever more
Oh my man I love him so
He'll never know
All my life is just despair
But I don't care
When he takes me in his arms
The world is bright all right
What's the difference if I say
I'll go away
When I know I'll come back on my knees someday
For whatever my man is
I am his forever more

Impossível, deixar de incluir Finne and Meloow com Billie Holiday no auge em 1944 e nesta belissima interpretação de sua autoria acompanhada de alguns dos maiores músicos de jazz como Coleman Hawkins, Lester Young, Ben Webster, Gerry Mulligan, Vic Dickenson e Roy Eldridge.

Um comentário:

Angélica Basthi disse...

Q belíssima homenagem, Zé. A fragilidade dessa mulher combinada sua força, tão plena de "humanidade", beleza e talento desafia qualquer tipo de tentativa de definição. A sua história de vida é triste e marcante. Sua voz, única, permanecerá para sempre na música afro-americana e no jazz mundial. Salve Billie!!