13.5.10

Viver a vida: final melancólico para a Helena negra

Um final melancólico para a personagem de Taís Araujo com Helena em Viver a Vida.
As melhores expectativas dos telespectadores com a Helena negra de Manoel Carlos em Viver a vida avançaram na última semana da telenovela para uma frustração. Todos aqueles espetadores que tentaram acreditar que a TV Globo ou menos o seu núcleo de novelas estivessem promovendo alguma mudança mais significativa com relação à sua produção de imagens sobre o negro mais uma perderam a esperança.
O lançamento de uma "protagonista" negra na novela do horário nobre da TV Globo acabou gerando um burburinho maior que os fatos, já que novidade não se sustentou numa trama que foi ficando morna ao longo dos capítulos.
Muito menos ainda empolgou a "família negra" de Helena deixando de apresentar uma imagem diferente dos estereótipos mais vulgares dos negros na televisão que se pode comprovar com a sua limitada interação com os demais personagens da trama principal.
A Helena negra retorna às passarelas no final de Viver a vida em que o brilho de Tais Araujo ficou ofuscado por uma personagem insípida 
Apesar do pior índice de audiência do horário, Viver a vida foi um sucesso de merchandising obtendo um faturamento recorde. O fraco desempenho das telenovelas da Globo são creditados entre vários fatores - tv a cabo, dvd e internet - a um novo componente, o portal de vídeos da própria TV Globo onde seus assinantes podem ver os capítulos fora dos horários fixos de exibição (os índices de audiência fora da televisão ainda não são medidos pelas pesquisas do setor).
 Nem publicidade em Viver a vida aproveitou a imagem da Helena negra: na internet uma marca de alizante para cabelos crespos preferiu uma imagem 'mais popular' como a ex-BBB Juliana Alves para vender seu produto 
Neste aspecto é possível observar que nenhum produto, serviço ou marca ousou uma associação à beleza negra de Helena (Taís Araujo) ou de sua família. Em contrapartida, Luciana (Aline de Moraes) assumiu aos poucos o verdadeiro papel de protagonista de Viver a vida projetando muito mais que a Helena negra a imagem da diversidade com sua personagem tetraplégica.
O selo social das novelas do horário nobre da TV Globo ficou por conta dos depoimentos dramáticos e de final feliz feitos por uma seleção de casos reais que no contexto da novela fazem a fusão da ficção com a realidade. Servindo de estratégia de envolvimento do espectador buscando tornar o produto televisível uma extensão da realidade vivida. De tal forma que a responsabilidade social da mídia e de seus produtos devem ser observadas segundo uma agenda social em que a representação do negro se dê mais por meio de significados positivos tal como se busca construir no sistema educacional com a lei 11.645 de ensino da história do negro e do indío.

Fontes: Globo.com, Adnews
Atualizada em 28/5/10

Nenhum comentário: